Marketing de relacionamento: o segredo para fidelizar clientes

Imagem que descreve o marketing de relacionamento

Nunca se falou tanto em marketing de relacionamento como nos dias atuais. Os tempos vêm mudando e já não é de hoje que as pessoas não aceitam mais ‘qualquer atitude’ vinda de pessoas das quais acompanham. Basta observar os ‘cancelamentos’ virtuais para compreender que todo cuidado ainda é pouco.

E apesar de estar explícito, muitas empresas ainda escorregam neste sentido e acabam não conseguindo colocar em prática o tal do marketing de relacionamento. Mas fique tranquilo(a), minha intenção aqui é justamente desmistificar todos esses assuntos, trazendo conhecimento e luz aos seus negócios. Inclusive, também falamos um pouco sobre nesse outro artigo aqui.

Entretanto, hoje, vou um pouco mais além no assunto, abordando também sobre o que é prospecção. Me acompanhe.

Afinal, o que é desenvolver Marketing de Relacionamento?

Bom, não é pedir ao seu cliente em namoro e nem forçar uma amizade, um relacionamento que não existe. Brincadeiras à parte, realmente não é querer ser apenas simpático, solícito, íntimo demais. Marketing de relacionamento não é passar um treinamento para sua equipe de vendas, de modo que eles sejam instruídos a atenderem de forma totalmente invasiva.

A base de um bom marketing de relacionamento é construída aos pouquinhos dentro das redes sociais online – já que geralmente obtemos o maior número de leads ali. É necessário que se tenha em mente um objetivo ao criar conteúdo para as redes e isso, é o que chamamos de conteúdo de valor. Não é somente criar posts aleatórios e postar, muito longe disso.

É preciso planejamento, estratégia, um cuidado maior. Já parou para pensar o que seu público deseja escutar, aprender, saber um pouco mais e que nenhuma outra empresa colocou em prática ainda? Quais os maiores problemas deles na hora da compra, quais as dúvidas mais frequentes, o que faria eles escolherem o que você oferece (e não a concorrência)?

Tudo isso pode servir como o início de uma relação com o consumidor. Por exemplo: em uma empresa que vende materiais de construção, é necessário que sejam priorizadas as informações técnicas sobre os produtos, da forma mais detalhada possível. Criar conteúdo baseado em obras e seus processos, dúvidas das pessoas em relação ao orçamento necessário, como contratar os melhores profissionais, etc.

Captou a mensagem? Isso pode ser um chamariz grande para seu público, pois eles poderão ver sua marca como autoridade no assunto, o que dentro da mente dele, automaticamente, faz virar a melhor opção. E assim, pode-se ir trabalhando vários outros conteúdos, utilizando um pouco de humor/memes (dependendo do seu nicho), aproveitando todos os recursos que as plataformas nos oferecem, até que você se torne a única opção.

Busque sinceridade e transparência

Já se foi o tempo em que as pessoas interessadas em produtos e serviços eram facilmente enganadas pelas empresas e seus respectivos vendedores. Dietas milagrosas, aparelhos de ginástica que prometiam resultados impossíveis, aparelhos domésticos que aparentemente eram uma coisa e quando eram utilizados – já na primeira vez – causavam uma enorme decepção: isso virou passado.

E é exatamente para curar este mal que o marketing de relacionamento vem sendo implementado: o objetivo final é fazer com que o consumidor se sinta seguro e confortável ao adquirir algo que é ofertado a ele. Sem ‘conversa’ no pé do ouvido, sem forçar a barra. É imprescindível demonstrar-se íntegro.

Hoje, as empresas se tornaram aliadas das pessoas, são vistas como parceiros/amigos em relação ao cotidiano. Elas possuem rosto, voz, caráter e opiniões. Então, assim sendo, como em todo relacionamento saudável entre dois seres humanos – seja de qual tipo ele for -, as trocas precisam ser mútuas e devem valer a pena para ambas as partes.

Portanto, quanto mais você buscar esse contato próximo e transparente com o seu público, querendo sempre entender quais os seus desejos e necessidades, mais ele se tornará fiel a você. É simples. Basta que seja o mais orgânico possível. Visando converter em vendas, óbvio, não podemos ser hipócritas.

Porém, sem tratar as pessoas somente como números. Lembre-se de que do outro lado também existe um ser humano, de carne, osso e coração. Se atentando sempre para este fato, todo o resto flui de forma mais tranquila e honesta. Guarde para a vida: pessoas se conectam com pessoas.

Quais as estratégias de relacionamento com o consumidor que você e sua equipe já colocam em prática hoje? Precisando de um apoio maior, conte comigo, Eliana Santos.

É só me chamar no WhatsApp e conversaremos para descobrir quais os maiores gaps a serem solucionados dentre seus processos hoje.

Conte também com a IAN Vendas Estratégicas para cuidar do seu time de vendas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar uma conversa
1
Vamos conversar?
Olá, posso te ajudar?